O ataque ficou no hotel

25/08/2010 às 11:47 | Publicado em Grand Prix, Japão, Seleção brasileira, Takeshita | Deixe um comentário
Tags: , , ,

(Divulgação/FIVB)

A derrota para o Japão na estreia da fase final do Grand Prix pegou a todos de surpresa e pode custar ao Brasil o título. O mais curioso é que as brasileiras perderam justamente no ponto que mais haviam brilhado na vitória sobre as mesmas japonesas três semanas atrás, em São Carlos: o ataque.

Naquela ocasião, Sheilla, Mari e Jaqueline deram um show de cortadas e largadinhas e, juntas, fizeram 40 pontos em três sets. Desta vez, foram 41, mas em cinco parciais e 27 deles foram de Jaqueline, exceção honrosa entre as atacantes. Pior: vindo do banco, Paula Pequeno e Sassá não fizeram um mísero ponto sequer.

Como se não bastasse, as opostas também deixaram seus conhecimentos no hotel. Enquanto Sheilla fez apenas seis pontos e não foi nem sombra da espetacular jogadora que é normalmente, Natália marcou nove vezes e perdeu uma grande chance de substituí-la à altura. Ainda é inexperiente e, por isso, não consegue ser titular da seleção.

Por outro lado, é interessante notar como volta e meia a mineira some do nada em certos jogos. Se fôssemos comparar com o futebol, diria que ela é o Alex, ex-Palmeiras e Cruzeiro: absolutamente talentosa e capaz de jogadas genais, mas que de repente adormece na partida. Em menor escala, o mesmo já havia acontecido na derrota para a Itália na primeira rodada. “Com elas não é força, é inteligência”, resumiu a capitã Fabiana depois do jogo, ao SporTV.

De resto, as centrais foram bem e não acho que a entrada da Dani Lins no lugar da Fabíola mudaria alguma coisa. Também não podemos tirar os méritos do Japão, que vem em uma campanha absolutamente inesperada. Chega a irritar o quanto elas defendem. A levantadora Takeshita, então, nem se fala o quanto joga…

Para fechar, só achei desnecessária a alfinetada do Zé Roberto na Mari depois da partida, também ao SporTv (“A Jaqueline foi muito bem, marcou 27 pontos, mas a outra ponteira (Mari) marcou apenas nove. A situação ideal é o equilíbrio entre as jogadoras”), até porque ela não foi a única a atuar mal hoje.

 

Climão na coletiva da Polônia (Divulgação/FIVB)

Enquanto isso…

– Os EUA conseguiram uma bela virada sobre a Polônia, que chegou a ter três match points, e venceu por 3 a 2. Ridícula, porém, a atitude do técnico Jerzy Matlak foi ridícula: além de trocar atletas quase como uma metralhadora giratória, ele virou as costas para as atletas, quando elas mais precisavam, durante a virada.

– Já a Itália se impôs sobre a China e venceu por merecidos 3 a 0. Será que as chinesas vão mesmo dar vexame em casa?

– Tem matéria nova sobre o desembarque dos meninos na Gazeta Esportiva.Net. É o Murilo falando sobre o casamento com a Jaqueline e como isso o tem ajudado em quadra.

Anúncios

Deixe um comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: